fevereiro 23, 2011

José Afonso, numa opinião de carretos para surf-casting...

O dia em que conheci o Zé! Na sua praia... Figueira da Foz, num encontro de um fórum de pesca...

O seu nome, dispensa quaisquer tipo de apresentações... Este é daqueles... que todos nós agradecemos a sua presença num qualquer lugar, e, se se falar de pesca, melhor ainda!
Evidente que este meu espaço, fica mais rico... mesmo que, tenha tirado o seu artigo de uma revista de pesca. E para compor melhor este artigo, nada melhor que juntar o seu vastíssimo currículo de competição....

Desde já Zé, o meu muito obrigado sempre pela tua disponibilidade!
Vai um abraço! 

Esta ficará nas minhas memórias: Até as tuas bifanas estavam o must...









Os carretos de Surf-Casting, dicas…


Os carretos de a utilizar devem ser carretos que não fiquem desequilibrados nas canas que possuímos e indicados para o surfcasting. Como características principais devem ter força, um bom enrolamento de fio na bobine e bobines largas para uma boa saída de fio.
 Para ler artigo completo, clique em "ler mais"

Como conselho, sugiro que comprem carretos iguais. Este facto faz com que fiquemos com mais opções em termos de linhas a utilizar. Fica sempre mais barato comprar uma bobine suplementar que um carreto.
Devemos escolher carretos com capacidade para levar pelo menos 200/300 metros de monofilamento ou 150/200 metros de multifilamento de diâmetro que desejamos utilizar.
A qualidade de construção e dos materiais utilizados na elaboração de um carreto de surf-casting devem ser tidos em conta porque este tipo de carretos é aquele que está sujeito ao contacto com um dos elementos que maior desgaste e avarias provoca num carreto – a areia.
A estanquicidade de um carreto de srf-casting deve ser completa, para evitar a entrada de areia para as partes moveis do carreto.


Estrutura e materiais do carreto
Os carretos actuais são feitos nos mais variados materiais, desde a grafite, aos compostos de carbono, titânio, plásticos e outros.
Os materiais empregues na construção de um carreto têm grande importância, já que é a qualidade desses materiais que vai determinar a qualidade de um carreto.
Esta qualidade tem importância capital na durabilidade e funcionamentos do carreto ao longo dos tempos.
Neste sentido podemos avaliar os seguintes itens:

Corpo
O corpo do carreto porque é uma das partes que comporta no seu interior um grande número dos componentes de um carreto de pesca, deve ser construído num material resistente capaz de suportar a corrosão e desgastes provocados pelo contacto com o exterior (água do mar, areia, rochas, etc.) e o esforço e o desgaste natural provocados pela sua utilização.
Deve ser ainda feito num material que não sofra deformações e quebras, garantindo assim a durabilidade e bom funcionamento dos componentes que são colocados no seu interior.
Deve ainda garantir uma boa estanquicidade dos materiais que são colocados no seu interior.

Manivela
A manivela de um carreto deve ser ergonómica e forte de maneira a proporcionar um manuseamento confortável, com o mínimo de fadiga para o pescador, principalmente em acção de esforço.

Bobine
A bobine de um carreto deve permitir uma saída suave da linha, e na nossa escolha devemos ter atenção ao diâmetro da linha que vamos utilizar.
Na escolha também devemos ter em atenção o número de bobines suplementares que acompanham o carreto.

Travão
O travão do carreto deve ser forte, resistente e preciso, para funcionar quando for necessário.

Engrenagens
Na altura da compra de um carreto não temos hipótese de verificar a qualidade das engrenagens nem do material em que são feitas. Temos que acreditar na informação que nos é dada pelo fabricante ou então pelo vendedor.
Estas têm que ser feitas num material de qualidade superior pois são o material que sofre mais desgaste num carreto.

Rolamentos
O facto de um carreto ter muitos rolamentos não significa por si só que é um carreto de qualidade. A qualidade dos próprios rolamentos, o sítio onde são colocados e a qualidade do corpo do carreto são factores que também condicionam o bom funcionamento de um carreto.
Existem carretos no mercado com apenas três rolamentos que são máquinas fiáveis, precisas e duradouras.
Os rolamentos devem ser colocados nos pontos do carreto que rodam, sendo os seguintes locais os cruciais e importantes:
- Pinhão de ataque;
- Roda de coroa (um de cada lado);
- No sistema que garante a elevação do veio da bobine;
Outros locais em que os rolamentos garantem um melhor funcionamento do carreto:
- Punho da manivela;
- Rodízio do enrolamento do fio;
- Embraiagem (Drag);

Embraiagem (Drag)
Actualmente podemos encontrar carretos com embraiagem frontal e traseira. Neste ponto e independentemente da sua localização, que será uma questão de gosto pessoal, e o seu funcionamento é que deverá ser preciso e fiável.
A sua localização terá apenas a ver com uma melhor habituação ao seu manuseamento da parte de cada pescador.

Funcionamento do carreto
Numa loja ao manusearmos e experimentarmos um carreto, devemos ter em atenção ao seu trabalhar que deve ser suave e preciso como um relógio, sem falhas e sem ser desequilibrado. Se possível experimentar outros carretos similares e compararmos o seu funcionamento à procura de falhas ou defeitos no seu funcionamento.

Os preços
Neste aspecto actualmente, as marcas nacionais já apresentam carretos de boa qualidade e a preços mais acessíveis que algumas de marcas estrangeiras.
Devemos ainda ter especial atenção ao facto de no mercado actual existirem carretos precisamente iguais e comercializados sob marcas diferentes. Nestes casos e se não houver oferta de mais nenhum extra (bobines ou outro acessório) devemos escolher o carreto com preço mais baixo visto os carretos serem feitos na mesma fábrica, havendo apenas diferença ao nível da marca e das cores de apresentação do carreto, não havendo diferença nenhuma na qualidade do carreto.
Existem no mercado algumas (poucas) marcas que realmente têm na sua oferta carretos de excelente qualidade e que merecem ter um preço mais elevado.
Neste particular e em relação aos carretos de surf-casting podemos também optar pelos chamados carretos de bobine móvel.

Carretos de bobine móvel
Este tipo de carreto é muito utilizado no Norte da Europa e em relação aos carretos de bobine fixa tem as seguintes vantagens:
- Permitem fazer lançamentos mais longos com fios de diâmetro mais elevado, devido ao baixo atrito produzido pelo fio a sair da bobine e ao tocar nos passadores na cana;
- Têm um poder de atracção mais elevado que o tradicional carreto de bobine fixa;

Os principais problemas na utilização deste tipo de carreto são;
Algumas dificuldades na aprendizagem da utilização deste tipo de carreto;
-  Maior dificuldade na sua utilização;
-  Manutenção mais difícil e elaborada;
- São carretos mais sensíveis à areia e à água salgada; 
- Mudança de bobine difícil de fazer no local de pesca.


Fonte: Jornal da Pesca

4 Comentários:

José disse...

Obrigado Pedro.
É sempre gratificante receber estes elogios de outros colegas pescadores.

Ps: Quanto às bifanas, se quiseres aparecer, no dia 19 de Março vai haver repetição,.

Pedro Galante disse...

De nada Zé! Gratificante é ler-te e ouvir-te... não existem muitos com a tua disponibilidade... Por isso, obrigado uma vez mais!

Quem sabe, as bifanas...!!!!!

Grande abraço

Anónimo disse...

Estou na linha de Sintra e sou apaixonado pela PESCa, toda ela, como tal de quando em quando ando por aqui à procura de comentários
Assim solicitava aos carissimos uma ajuda de como se devem utilizar os iscos e para que águas
um abraço
M.Graça

Anónimo disse...

BOAS, GOSTARIA DE DEIXAR AQUI UMA PERGUNTA SOBRE UM DETERMINADO CARRETOS VISTO SER APONTADO COMO O MELHOR CARRETO DE SURFCASTING PARA LONGOS LANÇAMENTOS E QUE AQUI NA EUROPA POUCO OU NADA SAO UTILIZADOS O NOME DELE É " ALVEY " SERÁ QUE ME PODEM ELUCIDAR.
OBRIGADO

> Ir ao Fundo Ir ao Topo