Avançar para o conteúdo principal

Aos poucos vou chegando lá...

Ontem e como as previsões apontavam uma noite mais ou menos tranquila, decidi ir ao Molhe Norte tentar um peixe melhor. Levava apenas Pilado.
Tinha na ideia que a paragem da maré seria por volta da meia-noite.
Chegado lá, perto das 22h, e sem pressas de nada, pois a forte corrente fazia-se sentir. Fui montando a cana. Subi ao estradiço, olhei uma vez mais para a corrente, esta estava demasiado forte, e nem valia a pena tentar qualquer lançamento. Sentei-me a comer as sandes que tinha levado. Fui para baixo, fui para cima na tentativa de um lançamento, mas era impossível, a corrente não dava sinais de abrandar (Burro que devia ter ido consultar a tabela). Não tive outro remédio se não sentar-me. Nisto olho para o relógio, marcava meia-noite e eu sem um lançamento. Para atrapalhar ainda mais a coisa, vejo quatro senhores que vêm embora (penso eu, são estes quatro que o Porfírio tem cá) e não havia alternativa, eu também tinha que ir. Muito lixado começado por f... a pensar no valor da viagem e no dinheiro gasto em isca, para além de nem se quer ter feito um lançamento, pensei: - Isto não é normal, quando chegar ao outro lado, tenho de ir tentar safar a grade a um lugar qualquer. Assim foi, pés em terra e ala que se faz tarde. Escolhi um pesqueiro perto, pois a hora avançava e não havia grande margem de manobra. Carro estacionado, estico a cana, escolho um Pilado fêmea, e lanço. A corrente continuava :) e como não estava para grandes correrias, paro, ponho o dedo na linha e vou fazendo algumas animações, quando a bóia já se encontrava muito perto das pedras. Agora imaginem vocês, eu não escrevo mais... :) Sim, foi muito bom voltar a sentir um menino de 55cm de peso. Os lançamentos seguintes, nem mais nada!!!!
Desculpem a foto, mas eram já quase 3h da manhã quando cheguei a casa, não havia pachorra para mais.
Ps: Eram quase 2.30h e a m
aré ainda não tinha virado :)

O Papudo

Comentários

Mensagens populares deste blogue

José Afonso, numa opinião de carretos para surf-casting...

O dia em que conheci o Zé! Na sua praia... Figueira da Foz, num encontro de um fórum de pesca...


O seu nome, dispensa quaisquer tipo de apresentações... Este é daqueles... que todos nós agradecemos a sua presença num qualquer lugar, e, se se falar de pesca, melhor ainda! Evidente que este meu espaço, fica mais rico... mesmo que, tenha tirado o seu artigo de uma revista de pesca. E para compor melhor este artigo, nada melhor que juntar o seu vastíssimo currículo de competição....
Desde já Zé, o meu muito obrigado sempre pela tua disponibilidade! Vai um abraço! 

Os carretos de Surf-Casting, dicas…
Os carretos de a utilizar devem ser carretos que não fiquem desequilibrados nas canas que possuímos e indicados para o surfcasting. Como características principais devem ter força, um bom enrolamento de fio na bobine e bobines largas para uma boa saída de fio.

Enguias de viveiro

Aproveitando mais uma bela almoçarada (arroz de Lampreia) na marinha da Boca Torta, no final, uma das pessoas que lá trabalha, deu-nos a oportunidade de ver algumas Enguias que por lá habitam.

































Sete meses depois, voltei a colocar uma cana ao alto...

Valeu a pena esperar por este dia... Acompanhado pela minha esposa, combinamos dias antes em ela me acompanhar até à Galiza no meu "regresso" à pesca, e para ela apreciar aquele magnifico lugar... pelo qual sou um incondicional apaixonado. Foi um momento aguardado com muita emoção e ansiedade... O destino foi estipulado mesmo à ultima da hora em conjunto com um Português... radicado à mais de 40 anos na Galiza e por umas coordenadas que me chegaram via sms por um amigo... Partida cerca das 3:30h de sábado. A viagem correu calma, apesar de por vezes apanhar nevoeiro intenso. A chegada deu-se por volta das 7h, com alguns inconvenientes à mistura, visto que o GPS do telemóvel não funcionou. Uma chamada de recurso, resolveu o problema, a pessoa a quem liguei, passado pouco tempo, estava junto a nós, tendo-nos guiado até aos pesqueiros... Uma água de fazer inveja, foi o que encontramos. Ele disse-me onde geralmente pescava, mas, fui de encontra os pesqueiros dele, e disse-lhe que go…