Avançar para o conteúdo principal

Aos poucos vou chegando lá...

Ontem e como as previsões apontavam uma noite mais ou menos tranquila, decidi ir ao Molhe Norte tentar um peixe melhor. Levava apenas Pilado.
Tinha na ideia que a paragem da maré seria por volta da meia-noite.
Chegado lá, perto das 22h, e sem pressas de nada, pois a forte corrente fazia-se sentir. Fui montando a cana. Subi ao estradiço, olhei uma vez mais para a corrente, esta estava demasiado forte, e nem valia a pena tentar qualquer lançamento. Sentei-me a comer as sandes que tinha levado. Fui para baixo, fui para cima na tentativa de um lançamento, mas era impossível, a corrente não dava sinais de abrandar (Burro que devia ter ido consultar a tabela). Não tive outro remédio se não sentar-me. Nisto olho para o relógio, marcava meia-noite e eu sem um lançamento. Para atrapalhar ainda mais a coisa, vejo quatro senhores que vêm embora (penso eu, são estes quatro que o Porfírio tem cá) e não havia alternativa, eu também tinha que ir. Muito lixado começado por f... a pensar no valor da viagem e no dinheiro gasto em isca, para além de nem se quer ter feito um lançamento, pensei: - Isto não é normal, quando chegar ao outro lado, tenho de ir tentar safar a grade a um lugar qualquer. Assim foi, pés em terra e ala que se faz tarde. Escolhi um pesqueiro perto, pois a hora avançava e não havia grande margem de manobra. Carro estacionado, estico a cana, escolho um Pilado fêmea, e lanço. A corrente continuava :) e como não estava para grandes correrias, paro, ponho o dedo na linha e vou fazendo algumas animações, quando a bóia já se encontrava muito perto das pedras. Agora imaginem vocês, eu não escrevo mais... :) Sim, foi muito bom voltar a sentir um menino de 55cm de peso. Os lançamentos seguintes, nem mais nada!!!!
Desculpem a foto, mas eram já quase 3h da manhã quando cheguei a casa, não havia pachorra para mais.
Ps: Eram quase 2.30h e a m
aré ainda não tinha virado :)

O Papudo

Comentários

Mensagens populares deste blogue

José Afonso, numa opinião de carretos para surf-casting...

O dia em que conheci o Zé! Na sua praia... Figueira da Foz, num encontro de um fórum de pesca...


O seu nome, dispensa quaisquer tipo de apresentações... Este é daqueles... que todos nós agradecemos a sua presença num qualquer lugar, e, se se falar de pesca, melhor ainda! Evidente que este meu espaço, fica mais rico... mesmo que, tenha tirado o seu artigo de uma revista de pesca. E para compor melhor este artigo, nada melhor que juntar o seu vastíssimo currículo de competição....
Desde já Zé, o meu muito obrigado sempre pela tua disponibilidade! Vai um abraço! 

Os carretos de Surf-Casting, dicas…
Os carretos de a utilizar devem ser carretos que não fiquem desequilibrados nas canas que possuímos e indicados para o surfcasting. Como características principais devem ter força, um bom enrolamento de fio na bobine e bobines largas para uma boa saída de fio.

Uma recordação...

Decorria o ano de 2008, quando pela primeira vez, decidimos ir à Galiza à bóia. Um pouco às escuras, enverdamos por um pesqueiro nunca antes explorado por nós. Dei com o peixe assim que lá cheguei, mas foi sol de pouca dura... Só ao final do dia, é que voltei a sentir qualquer coisa mais. Nada de extraordinário, mas, para o efeito, foi muito bom. Na companhia do Humberto e do Telmo, deixo as fotos para confirmar o bom ambiente... e o local de sonho!





Enguias de viveiro

Aproveitando mais uma bela almoçarada (arroz de Lampreia) na marinha da Boca Torta, no final, uma das pessoas que lá trabalha, deu-nos a oportunidade de ver algumas Enguias que por lá habitam.