junho 26, 2009

Uma curta viagem pelos meus locais de pesca 5

Se me sentisse confortável neste pesqueiro (Molhe Sul), sem dúvida que o elegeria como dos melhores que temos aqui em Aveiro. Mais abaixo saberão o motivo da minha afirmação. Estas imagens demonstram bem o magnífico pesqueiro que o é (muita atenção quando se acede aos pés de galinha que se encontram mais perto da água). Os que se situam junto dela, estão, praticamente, cobertos por uma película muito escorregadia, o que em dias de humidade se torna perigoso. No meu caso em particular, só vou para ali quando o tempo se encontra realmente muito seco, e mesmo assim, nem sempre. Outra particularidade, quem vai para lá, dificilmente tem possibilidade de mudar de pedra, tendo que, submeter-se ao seu sítio devido às outras pedras ficarem ocupadas por outros companheiros, e esperar que a sorte vos proteja, visto que nem sempre o peixe se encontra no mesmo local. Como se pode verificar nas fotos, a corrente (fieiro) passa muito perto do pesqueiro, logo é uma vantagem muito grande para os corricadores (e não só) tentar a sua sorte na corrente. Como devem saber, o Robalo, neste género de locais, está quase sempre camuflado, ou seja, uma pedra serve para ele se esconder, esperando sempre pela sua presa para a atacar.
A amostra/borracha (ou aquilo que lhe queiram chamar) que mais se utiliza, é o cação nacional (estes são mais baratos). Isto porquê? Devido ao fundo ser “exageradamente” composto por pedra.Outra pesca com resultados que por vezes passam o “anormal”, é a bóia.
Digo-vos uma coisa: quem não conhecer aquilo ali minimamente, tem grandes probabilidades de estar naquele sítio 2/3h a ver os outros tirar peixe! Por isso, antes de se deslocarem ao local, façam uma visita primeiro. Quem vos avisa, vosso amigo é :-). As iscas, as de sempre: Camarão vivo, Caranguejo Pilado vivo e Lingueirão vivo.Como ir? Pela Praia da Barra, procurando o paredão principal (Lt - 40°38'24.15"N // Lgt - 8°44'51.06"W)

0 Comentários:

> Ir ao Fundo Ir ao Topo