fevereiro 08, 2011

«A Barra e os Portos da Ria de Aveiro» em exposição na cidade de Salamanca...

No próximo dia 11 de Fevereiro vai proceder-se, na Sala de Exposiciones de Santo Domingo de la Cruz, em Salamanca, à inauguração da exposição “A Barra e os Portos da Ria de Aveiro 1808 – 1932, no Arquivo Histórico da Administração do Porto de Aveiro”. 

A abertura está prevista para as 12:00 locais, contando com a presença de destacadas personalidades portuguesas e espanholas nos campos empresarial, governamental e cultural. A apresentação está a cargo do Prof. Doutor João Garcia. 




Patente até 13 de Março de 2011, a exposição comissariada por João Carlos Garcia e Inês Amorim (ambos professores da Faculdade de Letras do Porto), cumpre em Salamanca a nona etapa de um circuito de itinerância pela Península Ibérica. Após a inauguração, a 3 de Abril de 2008, em Aveiro, a exposição já esteve patente em Lisboa (Museu de Marinha), Coimbra (Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra), Figueira da Foz (Casino Figueira), Ovar, Estarreja, Madrid e Valladolid.


A organização cabe ao Porto de Aveiro, Comunidade Portuária de Aveiro, Porto da Figueira da Foz e Zaldesa, decorrendo sob o Alto Patrocínio do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (MOPTC), Ayuntamiento de Salamanca e Fundación Municipal SALAMANCA – Ciudad de Cultura. 


O prestígio já granjeado pela exposição levou a congregar instituições reputadas na lista dos “Partners Institucionais”: CyLog, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), e a Associação Industrial do Distrito de Aveiro (AIDA). 

O mesmo vale para o partenariado empresarial, com o Casino Figueira a apoiar a realização da exposição, depois de já o ter feito enquanto entidade anfitriã, em Outubro do ano passado. 





Originalmente integrada no programa comemorativo do Bicentenário da abertura da Barra de Aveiro (03.04.1808), é composta por documentos do Arquivo Histórico do Porto de Aveiro, empresa que, em boa hora decidiu libertar o seu património histórico-documental da clausura que o agrilhoava em inútil penumbra, fomentando-se o seu usufruto pela comunidade. 


A exposição é composta por quatro núcleos: - “I – A RIA DE AVEIRO”; “II – A BARRA DE AVEIRO”; “III – A NAVEGABILIDADE DA RIA DE AVEIRO”; “IV – AS MARINHAS DE SAL DA RIA DE AVEIRO”. 

“A documentação do Arquivo do Porto de Aveiro concentra as diferentes valências deste porto flúvio-marítimo” – afirma Inês Amorim, detalhando: “Por um lado, registos como mapas, cartas, projectos, desenhos e respectivas memórias, a escalas diferenciadas, numa quantidade e variedade imensurável, resultam das opções e procedimentos técnicos e interventivos no porto, na cidade e na Ria. Por outro, a documentação de carácter administrativo, que inclui as actas das sucessivas administrações, livros de receitas (fiscais) e de despesas, e os relatórios de actividades, cuja natureza evoluiu à medida que a legislação e os regulamentos o exigiam. Depois, a fotografia, pelo menos desde a década de 30, documenta obras e recursos, sítios de embarque e desembarque de materiais e mercadorias, ou, ainda, imagens aéreas da barra e porto. Finalmente, os objectos atestam técnicas empregues, quer no conhecimento das marés na Ria e na embocadura da barra, quer nas obras portuárias”. 

“É este conjunto, diversificado, que compõe o Arquivo da Administração do Porto de Aveiro”, acrescenta a reputada investigadora. “Se, a complementar Biblioteca, contém um acervo de obras impressas relativas a obras portuárias, nacionais e estrangeiras, justificadas pelos interesses das equipas técnicas e de engenharia, acrescentam-se muitas outras, sobre as actividades económicas e ambientais, gerais e locais, geradas e geradoras, das dinâmicas sócio-económicas”.

Fonte: Site Porto de Aveiro

0 Comentários:

> Ir ao Fundo Ir ao Topo