Avançar para o conteúdo principal

“The changing Sea” – marés em mudança

Atracados no Pacífico Norte, uma equipa de cientistas, prepara-se para a pesca da lula…
Mas não se trata de uma lula qualquer…é uma lula mensageira das modificações. Uma lula voraz, que está a assolar a costa canadiana.
Para ver artigo completo, clique em "ler mais"
Dias estranhos estão a despontar no mar global.
Os animais estão em movimento.
As zonas mortas estão em expansão (como já fui referindo em artigos anteriores). E a base da vida está em lenta erosão.
Milhares de cientistas procuram perceber o que está a acontecer…
lula-humboldt
A lula Humboldt, num período de vida de apenas 1/ 2 anos, pode ficar um predador de 2m de comprimento e 45kg.
Para ficar tão grande e tão repentinamente, ela tem que se alimentar constantemente.
Esta lula, nunca se alimenta sozinha. Fá-lo em grupo.
Merlúcio
O merlúcio – peixe da qual a lula de Humboldt se alimenta, está a mudar o seu padrão de comportamento, bem como a própria lula.
Estão a ir mais para Norte e a uma maior profundidade.
Em 2002, houve um pequeno El Niño. As lulas voltaram e estão no meio do merlúcio, novamente…
Expansões episódicas de alcance, durante os períodos do El Niño, foram um processo natural. Mas o facto de a porta ter sido “arrombada”, é responsabilidade nossa.
Porquê?????
Graças a um manto de dióxido de carbono, produzido pela combustão de combustíveis fósseis, o ciclo climático mais quente do planeta, El Niño, poderá estar a ficar persistente…
Esse ciclo tem origem nos trópicos, mas parece estar a aumentar as temperaturas do oceano em muitas outras regiões do oceano global.
A alteração climática, certamente, contribui para que a Lula Humboldt, siga para norte no hemisfério norte e para sul no hemisfério sul.
Estamos a tornar as águas que agora habitam, muito mais acolhedoras para a lula.
Muitas outras espécies estarão a sofrer o mesmo tipo de processo.
A ausência, cada vez maior de outros predadores, como o atum, também permite a permanência desta lula predatória.
Assim sendo, alguns locais ficarão tão alterados pela chegada de novas espécies, que não poderão funcionar do mesmo modo e entrarão em colapso funcional.
Os cientistas procuram a todo o custo, procurar quais os ecossistemas que correm mais risco e como o clima vai afectar isso.
Mas as espécies invasoras não são a única ameaça.


Fonte: Nat Geo "The Wild"

Comentários

Ernesto Lima disse…
Viva Pedro!

É de facto preocupante mais esta prova das alterações que, mesmo por cá, já parecem sentir-se com o aparecimento de algumas espécies em épocas e zonas que parecem pouco habituais. Para não falar das temperaturas de água que parecem surpreender em cada ano que passa.

Vamos ver o que dá e principalmente apreciar estes avisos que vão surgindo, dando-lhes a devida atenção.

Abraço

Ernesto
Estoy deacuerdo con Ernesto, el cambio climático se hace notar cada día con especies que no son usuales en nuestras costas y está en manos de todos protegerlo, por bien del futuro de nuestros hijos y nietos etc. Un saludo Pedro
Pedro Galante disse…
Viva Ernesto!

Este é um tema que estou aprofundar... tenho muito ainda para explorar e onde vou dar continuação, só que preciso de tempo. Há coisas que devem ser mudadas urgentemente. Lá mais para a frente, ficarão a saber o motivo da colónias de lulas estar a crescer em catadupa!
Os avisos são sérios! Mesmo que se pense que possam ou não ser cíclicos. Acho que estamos a chegar a um ponto que não se pode cometer erros...

Grande abraço
Pedro Galante disse…
Miguel, gracias por las palabras!
Sí, debemos estar alerta a cualquier cambio que se "siente"! En este puesto, además del cambio climático, hay otro problema que se revelará más adelante...

Un saludo Miguel

Mensagens populares deste blogue

José Afonso, numa opinião de carretos para surf-casting...

O dia em que conheci o Zé! Na sua praia... Figueira da Foz, num encontro de um fórum de pesca...


O seu nome, dispensa quaisquer tipo de apresentações... Este é daqueles... que todos nós agradecemos a sua presença num qualquer lugar, e, se se falar de pesca, melhor ainda! Evidente que este meu espaço, fica mais rico... mesmo que, tenha tirado o seu artigo de uma revista de pesca. E para compor melhor este artigo, nada melhor que juntar o seu vastíssimo currículo de competição....
Desde já Zé, o meu muito obrigado sempre pela tua disponibilidade! Vai um abraço! 

Os carretos de Surf-Casting, dicas…
Os carretos de a utilizar devem ser carretos que não fiquem desequilibrados nas canas que possuímos e indicados para o surfcasting. Como características principais devem ter força, um bom enrolamento de fio na bobine e bobines largas para uma boa saída de fio.

Enguias de viveiro

Aproveitando mais uma bela almoçarada (arroz de Lampreia) na marinha da Boca Torta, no final, uma das pessoas que lá trabalha, deu-nos a oportunidade de ver algumas Enguias que por lá habitam.

































Sete meses depois, voltei a colocar uma cana ao alto...

Valeu a pena esperar por este dia... Acompanhado pela minha esposa, combinamos dias antes em ela me acompanhar até à Galiza no meu "regresso" à pesca, e para ela apreciar aquele magnifico lugar... pelo qual sou um incondicional apaixonado. Foi um momento aguardado com muita emoção e ansiedade... O destino foi estipulado mesmo à ultima da hora em conjunto com um Português... radicado à mais de 40 anos na Galiza e por umas coordenadas que me chegaram via sms por um amigo... Partida cerca das 3:30h de sábado. A viagem correu calma, apesar de por vezes apanhar nevoeiro intenso. A chegada deu-se por volta das 7h, com alguns inconvenientes à mistura, visto que o GPS do telemóvel não funcionou. Uma chamada de recurso, resolveu o problema, a pessoa a quem liguei, passado pouco tempo, estava junto a nós, tendo-nos guiado até aos pesqueiros... Uma água de fazer inveja, foi o que encontramos. Ele disse-me onde geralmente pescava, mas, fui de encontra os pesqueiros dele, e disse-lhe que go…